Publicidade
SAÚDE

Vacina da Índia aprovada para uso emergencial mostra 81% de eficácia na fase 3

A vacina Covaxin, desenvolvida na Índia, recebeu a mesma licença de uso de emergencial da vacina Oxford-AstraZeneca, anunciou o Ministério da Saúde do país na quinta-feira (11).

A Covaxin faz parte do plano de distribuição de vacinas no país desde 16 de janeiro. No entanto, ela foi lançada sob o “modo de ensaio clínico”, o que significava que os pacientes tinham que assinar formulários de consentimento e atender a exigência de monitoramento subsequente.

Mais de 1,9 milhão de doses de Covaxin já foram administradas.

Agora, os testes de Fase 3 mostraram uma taxa de eficácia de 81%, e a vacina foi aprovada sob a autorização de uso de emergência “regular”.

“Isso elevou a autorização da Covaxin para o próximo nível, o mesmo nível em que outra grande vacina Covishield está operando”, disse VK Paul, da Niti Ayog, um grupo de estudos liderado pelo governo indiano.

Casos crescentes: a aprovação ocorre em um momento em que a Índia luta contra um pico de infecções. Na sexta-feira, o país registrou 23.139 novos casos – o maior aumento em 24 horas pelo segundo dia consecutivo desde o dia de Natal.

Isso aumenta o total do país para 11.308.846 casos e 158.306 mortes relacionadas, de acordo com o Ministério da Saúde da Índia.

O estado ocidental de Maharashtra é responsável por quase 60% dos novos casos, marcando uma tendência “preocupante”, disse o Dr. Balram Bhargava, Diretor Geral do Conselho Indiano de Pesquisa Médica.

O aumento está “relacionado ao número reduzido de testes, rastreamento, bem como a comportamentos inadequados em relação ao enfrentamento da Covid e grandes reuniões”, disse Bhargava em uma coletiva de imprensa na quinta-feira.

Fonte: CNN BRASIL


Publicidade

Anterior

Câmara aprova em segundo turno texto base da PEC Emergencial

Seguinte

Governo compra 10 milhões da Sputnik V e causa impasse com estados do Nordeste