Publicidade
DNews

Site guarda memórias e documentos para serem divulgados após sua morte

Depois de perder seu pai de forma inesperada, o empresário Mário Cassio Maurício se sentiu perdido. Nunca tinha conversado com o genitor sobre questões de enterro, velório e outras burocracias que a morte traz. O trauma causado pelo episódio, entretanto, resultou em uma ideia para um negócio.

Mário lançou há dois meses o Meu Último Desejo, uma plataforma na qual pessoas podem reunir vídeos, textos, lembranças, documentos importantes, entre outros arquivos para serem divulgados após seu falecimento. A empresa cobra em esquema de planos até a data da passagem do seu cliente. O plano individual, com direito a 500 mb de armazenamento, sai por 2,99 reais por mês e o plano familiar, que agrega até três dependentes, sai por 5,98 reais mensais.

Até o momento, o site registrou 500 assinaturas, a maioria composta por idosos e pacientes com doenças terminais. Nenhum dos fregueses morreu até agora. Os dados ficam armazenados e criptografados. Por isso, as informações pessoais, como orientação em relação às preferências de como será o enterro, distribuição da herança e mensagens para filhos, amigos e parentes são somente repassadas após o falecimento.

Cada assinante possui dois tutores, para que, após a morte, eles autorizem o início do envio das mensagens para as pessoas  antes definidas pelo usuário.

Publicidade
Anterior

PM procura suspeitos de assalto na Avenida 28 de Março

Seguinte

Três imóveis do Governo do Estado têm energia elétrica cortada por falta de pagamento em Campos, RJ,