Publicidade
JUSTIÇA

Sete anos após incêndio na boate Kiss, primeiro réu será julgado

 

Depois de sete anos, o primeiro réu vai ser julgado pelo incêndio na boate Kiss, que matou 242 pessoas em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Nenhuma autoridade foi indiciada até hoje e os outros três acusados conseguiram, na Justiça, o direito de serem julgados fora da cidade que ficou marcada por uma das maiores tragédias do país.

O julgamento de Luciano Bonilha Leão, um dos integrantes da banda, está marcado para o dia 16 de março. Os outros três acusados – Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann, donos da boate, e Marcelo de Jesus dos Santos, também da banda, conseguiram que o júri fosse transferido para a capital, Porto Alegre, e ainda não há data marcada. Uma das razões alegadas pela defesa dos três é a segurança dos clientes. Todos respondem em liberdade.

Fonte: G1

 

 


Publicidade

Anterior

Com juro baixo, imóveis voltam a atrair investidores

Seguinte

Jovem estuprada ainda é demitida