Publicidade
ESPORTES

PSG vence fácil o RB Leipzig e vai à sua primeira final de Liga dos Campeões

Não é só o Pai que tá on. Marquinhos também. Mbappé. Di María principalmente. Em mais um #NeyDay na internet, o PSG mostrou que está muito on. Dias depois de completar 50 anos, a equipe francesa venceu fácil o RB Leipzig por 3 a 0 nesta terça-feira, no Estádio da Luz, em Lisboa, e chegou pela primeira vez à final da Liga dos Campeões. Fez história. Neymar? Deu um belo passe para gol. E um passo rumo ao sonho de ser melhor do mundo.

O PSG agora espera por Lyon ou Bayern de Munique, que se enfrentam nesta quarta-feira, no José Alvalade. A decisão da Liga dos Campeões será no domingo, dia 23, às 16h (de Brasília), no Estádio da Luz. A final será inédita. Os bávaros buscam a sexta conquista do torneio, a 11ª presença em decisões.

Thomas Tuchel surpreendeu. Deixou Icardi no banco, lançou Paredes e deu mais liberdade para o trio Mbappé, Neymar e Di María. Deu muito certo. O PSG foi agressivo e foi pouco ameaçado. O primeiro gol saiu aos 12 minutos. O argentino cobrou falta, e Marquinhos subiu muito para testar para o gol. O segudo sairia no final da etapa inicial, com o próprio camisa 11. Após pressão na saída de bola, Ander Herrera acionou Neymar, que deu passe de letra para Di María completar: 2 a 0.

Na segunda etapa, Julian Nagelsmann tentou deixar seu time mais incisivo. Colocou Forsberg e Schick na equipe, apostou em jogadas pelos lados do campo e lançamentos na área. Mas deu espaços para o contra-ataque. E assim o PSG liquidou o jogo. Em um contragolpe puxado por Bernat, o próprio lateral apareceu na área para completar cruzamento de Di María: 3 a 0. Com tamanha vantagem, o Paris ainda teve boas chances nos pés de Mbappé e controlou o resultado para garantir a inédita vaga na final.

E Neymar? Com Mbappé e Di María em campo, ele dividiu o protagonismo. Mas saiu de campo com duas bolas na trave (uma delas poderia ser um golaço) e mais uma assistência, que o colocou no Top-10 dos jogadores que mais deram passes para gol na história da Liga dos Campeões. O camisa 10 agora tem 26 assistências no torneio. Ele chega à sua segunda final da competição e, caso conquiste o bi na sua carreira, surge como favorito para conquistar o prêmio de melhor jogador do mundo da Fifa.

Depois de oito anos no PSG, o dia que Thiago Silva tanto buscou em Paris será também o seu último pelo clube. O jogador que mais vezes usou a braçadeira de capitão do clube se despedirá da equipe depois da final da Liga dos Campeões. Ele não renovará o contrato. E, nesta terça, fez atuação segura ao lado de Kimpembe e Marquinhos na proteção da zaga. Ainda jogou boa parte do jogo com uma gaze na boa após disputa de bola no primeiro tempo. O zagueiro, próximo dos 36 anos, está perto de seu principal título na carreira.

Reforçado com um investimento bilionário do Catar em quase 10 anos desde a compra do clube, o PSG chega à sua sonhada final de Liga dos Campeões. O clube superou o trauma das últimas eliminações e é o 41º clube diferente a garantir uma vaga na decisão, que pela sétima vez na história terá um francês na disputa. O único título do país é do Olympique de Marselha, em 1993. Se conquistar a Champions, o PSG será o primeiro de seu país a conquistar todos os títulos em uma mesma temporada: Francês, Copa da França, Copa da Liga da França, Supercopa da França e a Liga dos Campeões.

Fonte: GLOBO ESPORTE


Publicidade

Anterior

Senado adia votação de projeto do governo que afrouxa leis de trânsito e aumenta validade da CNH

Seguinte

Alerj traça dois cenários para impeachment de Wilson Witzel