Publicidade
TECNOLOGIA

Privatização dos serviços de água no Brasil é tema que será será debatido em Fórum Mundial

No Brasil, por lei, a água é um bem público e dotado de valor econômico. Como bem público, sua privatização é impossível; Só é privatizável o serviço público, e não o bem. A avaliação é do coordenador temático do 8º Fórum Mundial da Água, Jorge Werneck, que considera equívoco o Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA) adotar como uma de suas principais bandeiras ser contrário à privatização da água.

Werneck explica que o que se tem é que em algumas localidades o serviço de coleta da água, tratamento, distribuição para a população é privatizado. “Existem companhias privadas atuando no setor, assim como existem empresas públicas. Este contexto será debatido no Fórum”. Ele ressalta ainda que, durante o processo de construção do Fórum, as coordenações envolveram representantes da sociedade mundial.


O coordenador temático do Fórum Mundial da Água, Jorge Werneck, afirma que todos os debates terão pluralidade de opiniões. – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Convidamos cerca de 600 ONGs [organizações não-governamentais] de todo o mundo. Em todas as mesas de discussão, haverá diversidade e pluralidade de opiniões. Teremos, inclusive, mesas específicas sobre a tragédia de Mariana e sobre os comitês de bacias hidrográficas”. Essa é a primeira vez que o Fórum terá espaços abertos para a sociedade, com a Vila Cidadã e a Feira de Exposições, para mobilização e com livre acesso para a sociedade.

Serão realizados debates técnicos, com várias atividades, festival de cinema e atividades lúdicas. Na visão do especialista, o Fórum Mundial da Água será uma oportunidade para as pessoas mostrarem suas experiências e, com base nelas, compartilhar e buscar soluções quanto ao acesso à água, inclusive para comunidades quilombolas, indígenas e pequenos agricultores.

“Os sistemas isolados são, sim, um desafio e por isso também são temas dentro do Fórum. Trata-se de uma plataforma de discussão onde as pessoas vão debater e compartilhar experiências, para que a gente solucione os problemas relacionados a  água e saneamento. Os desafios  são muitos ainda pelo mundo e temos que trabalhar nesse sentido do desenvolvimento sustentável  de ter água e saneamento para todos”, finaliza Werneck .

FONTE: Redação com Agência Brasil


Publicidade

Anterior

Dívidas do consumidor em fevereiro caem para 61,2% e cartões são considerados "vilões"

Seguinte

Polícia Civil e Ministério Público deflagram operação na Câmara de Vereadores de Mesquita