Publicidade
REGIONAL

Primeiro dia de lockdown em Campos tem boa adesão da população

O primeiro dia de lockdown em Campos teve boa adesão da população. Desde as primeiras horas desta segunda-feira (18), equipes de fiscalização estão baseadas em diversos cruzamentos e outras percorrem bairros. A medida anunciada pelo prefeito Rafael Diniz, na última sexta-feira (15), visa reduzir a circulação de pessoas nas ruas da cidade e frear a propagação do vírus. O município conta 369 casos confirmados da doença sendo 20 óbitos. O lockdown em Campos vale até o próximo dia 24 de maio.
De acordo com o subsecretário geral de Governo e membro do Gabinete de Crise para enfrentamento ao novo coronavírus, Fábio Bastos, alguns estabelecimentos que não podem funcionar, de acordo com o Decreto 100/2020, foram encontrados abertos, assim como algumas pessoas transitavam nas ruas em desacordo com as autorizações do Decreto. As equipes pela cidade encontraram 90% dos estabelecimentos de acordo com o Decreto Municipal, enquanto 10% de estabelecimentos foram orientados a fechar.
– O lockdown é algo novo e estamos orientando as pessoas. Ainda que, neste primeiro dia, tenhamos encontrado estabelecimentos funcionando incorretamente e pessoas transitando em vias públicas indevidamente, foi visível a redução de pessoas nas ruas dos bairros e principalmente no Centro da cidade, assim como a compreensão geral nas abordagens que tiveram caráter pedagógico. Precisamos achatar a curva da doença em nossa cidade. A velocidade com que os casos aumentaram na última semana nos preocupa. Já temos uma média de um óbito por dia com confirmação da covid-19. Se cumprirmos o isolamento, como deve ser, em breve teremos uma redução dos novos casos – destacou Fábio Bastos.
As equipes de bloqueio e fiscalização são formadas por guardas municipais e agentes da Postura, IMTT, Vigilância Sanitária e Secretaria Municipal de Segurança Pública e continuam nas ruas durante a noite e madrugada. Das 23h às 5h, está proibida a permanência e trânsito em vias, parques, equipamentos, locais e praças públicas. Neste período, podem circular profissionais e serviços de saúde, incluindo farmácias, forças de segurança, vigilantes, advogados no exercício da profissão e situações de emergência.
PRINCIPAIS MEDIDAS DO LOCKDOWN (VÁLIDAS ENTRE 18 E 24 DE MAIO)


1 – Fica proibida a permanência e o trânsito de pessoas em vias, parques, equipamentos, locais e praças públicas. Só será permitido o deslocamento por força de trabalho, para ida a serviços de saúde ou farmácias, compra de alimentos e gêneros essenciais à subsistência, bem como a ida a estabelecimentos autorizados a atender o público.
Obs: As pessoas que estiverem se deslocando a trabalho deverão apresentar carteira de trabalho, funcional, crachá, contrato de trabalho ou qualquer outro documento idôneo que justifique o vínculo profissional. Os interessados também poderão apresentar um formulário preenchido, cujo modelo está disponível no Diário Oficial. (Pág. 3 do decreto publicado no Diário Oficial)
2 – Mesmo nos casos previstos no item 1, fica proibida a permanência e trânsito em vias, parques, equipamentos, locais e praças públicas entre 23h e 5h, com exceção dos profissionais dos serviços de saúde, farmácias, forças de segurança, vigilantes, advogados no exercício da profissão e situações de emergência.

3 – Fica autorizado o bloqueio e interdição de vias e realização de blitz em todos os pontos da cidade, conforme orientação da Vigilância em Saúde.

4 – Fica suspenso o atendimento presencial ao público em estabelecimentos comerciais e prestadores de serviço, inclusive bares, restaurantes e estabelecimentos do mesmo gênero. Está autorizada, no entanto, a entrega de mercadorias em domicílio (delivery), ficando proibidos os sistemas de retirada no estabelecimento (“drive thru” e “take away”).

5 – Responsáveis por condomínios deverão proibir o acesso de moradores às áreas de uso comum, como academias, quadras, piscinas, churrasqueiras, salões de festa e afins.

6 – Estão suspensos:
• O acesso ao Jardim São Benedito, Horto Municipal, Cidade da Criança, teatros, museus, Serra do Itaoca, lagoas, rios, praias, cachoeiras, praças, parques e jardins públicos;
• Os eventos e qualquer atividade esportiva, cultural ou de lazer com presença de público;
• As atividades coletivas de cinema, teatro, comício, passeata e afins;
• As atividades nos clubes de serviço e lazer, academias de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico.
• As consultas nas clínicas, consultórios, laboratórios e estabelecimentos da mesma natureza;
• Atividades da construção civil, permitidos apenas os serviços emergenciais.

7 – Podem funcionar com atendimento ao público, desde que obedecendo as regras de higienização e distanciamento:

• Farmácias;

• Hipermercados, supermercados e mercados, incluindo atacados, atacarejos e afins e os hortifrutigranjeiros de grande porte (de segunda a sábado das 7h às 21h, e aos domingos das 8h às 14h);
• Feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros de pequeno porte, quitandas e centros de abastecimento de alimentos, lonas de venda de alimentação para animais, distribuidores de gás, lojas de venda de água mineral e padarias (de segunda a sábado das 5h às 20h, e aos domingos de 5h às 14h);
• Estabelecimentos bancários, casas lotéricas, agências de crédito e afins, com limite de 30% da capacidade física do local. Além das medidas de higienização, restrição e organização de eventuais filas, os estabelecimentos bancários deverão antecipar, no mínimo, em 1 (uma) hora do atendimento exclusivo para grupos de risco;
• Postos de combustíveis;
• Bares, restaurantes e estabelecimentos do mesmo gênero sediados no interior de hotéis, pousadas e similares
 (estes deverão funcionar apenas para os hospedes e colaboradores).

8 – Fica proibido o desembarque de passageiros com Covid-19 no Aeroporto Bartolomeu Lisandro ou no Heliporto do Farol de São Thomé, a menos que comprovem residência em Campos.

9 – Fica reduzida a circulação de pessoas e veículos entre Campos e municípios vizinhos. Os moradores de Campos que precisarem se ausentar deverão apresentar comprovante de residência ao retornar.
Obs: Poderão circular os veículos de serviços essenciais ou atividades que não estejam suspensas, mas os trabalhadores deverão apresentar documentos de identificação e os documentos que comprovem a necessidade do deslocamento, além de nota fiscal.

10 – Táxis e transporte por aplicativo de outros municípios não poderão circular em Campos, a menos que estejam transportando moradores do município que estejam retornando e tenham comprovante de residência.

Fonte: PMGC

Publicidade

Anterior

GNV é o combustível mais econômico no Rio de Janeiro

Seguinte

Detran do Rio prorroga prazos de licenciamento anual de veículos