Publicidade
DNews

Prefeitura inicia primeira etapa da Vacinação contra Febre Aftosa

A Prefeitura de Campos iniciou nesta segunda-feira (03) a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa em todo o município. A primeira propriedade a ser contemplada com a ação da equipe técnica da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca foi na localidade de Cambaíba, no setor Sul da Baixada Campista, na propriedade da assentada Maria Lúcia Macedo Barbosa. O início dos trabalhos, que faz parte da Campanha Nacional, contou com as presenças secretário da pasta, Almy Soares, e do subsecretário executivo, Alberto Moffati, que acompanharam a vacinação de 18 animais e a examinação do gado feita pela equipe de veterinárias. A segunda etapa será realizada em novembro deste ano.
O apoio da Prefeitura a 500 pequenos produtores rurais visa imunizar 20 mil animais dos cerca de 250 mil cabeças de gado, que é a população bovina em todo rebanho de Campos. Para atingir essa meta, a Prefeitura dobrou o número de vacinadores em relação à campanha de 2020 e disponibiliza 12 Agentes de Saúde Animal contratados para participar na aplicação das vacinas nas diversas regiões do interior do município.
“Em Campos, a Prefeitura contratou 12 Agentes de Saúde Animal para atuarem nesta primeira etapa da Campanha Nacional contra a Febre Aftosa, que vão estar distribuídos nas diferentes regiões do município, sendo este número o dobro do número de vacinadores existente no ano passado. Também vamos doar outras vacinas. Além da vacina contra aftosa, Campos figura entre as poucas Prefeituras do Brasil que apoia os pequenos criadores de gado nesta campanha com Agentes de Saúde Animal e eles vão cuidar do processo de vacinação contra três doenças importantes no país que são a febre aftosa, a raiva e as clostridioses”, destaca o secretário Almy Junior.
As Clostridioses são doenças provocadas por bactérias do gênero Clostridium e que provocam perdas ao produtor. A Vacina contra as Clostridioses evita por exemplo que o gado seja afetado pelo Carbúnculo Sintomático, Tétano, Botulismo, a Hepatite Necrótica e outras doenças que afetam os rebanhos bovinos, com perdas na atividade do gado de corte e do gado leiteiro.
A agricultora familiar Maria Lúcia Macedo Barbosa alerta aos demais pequenos produtores que não se pode perder um animal por deixar de vacinar. “É muito importante essa ajuda da Prefeitura, com a vinda do vacinador trazendo as doses contra a Aftosa e outras doenças e ainda as veterinárias que examinam os animais com muito boa vontade. A gente compra os animais com muito sacrifício e não podemos perder por não vacinar”, declarou Maria Lúcia, satisfeita após a vacinação dos seus 17 animais.
Fonte: COMUNICAÇÃO PMCG

Publicidade

Anterior

Covid-19: Saúde inicia vacinação em pessoas com comorbidades nesta terça

Seguinte

Câmara aprova projeto que revoga Lei de Segurança Nacional; texto vai ao Senado