Publicidade
DNews

Nova Zelândia começa a afrouxar isolamento após taxa diária de novos casos de Covid-19 se manter abaixo de 1%

Nova Zelândia começou a afrouxar as medidas de isolamento por causa do novo coronavírus, após a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern, afirmar que o país não detectou mais nenhum caso de transmissão comunitária do vírus. Desta forma, a população da ilha poderá sair de casa para pescar, surfar, caçar e fazer caminhadas pela primeira vez mais de um mês, quando foi imposta uma das quarentenas mais rígidas e que teve resultados significantes para conter o contágio da Covid-19.

— Não há transmissão comunitária ampla e generalizada na Nova Zelândia — declarou a premier ao anunciar o relaxamento das restrições.

Cerca de 400 mil pessoas puderam voltar ao trabalho desde a meia-noite desta segunda-feira, quando o nível de alerta no país foi rebaixado. Porém, lojas e restaurantes vão permanecer fechados por causa das medidas de restrições contra o vírus, que continuam em vigor.

Em resposta à pandemia, os 5 milhões de residentes da Nova Zelândia foram submetidos a um dos mais rígidos isolamentos do mundo, decretado no dia 26 de março, e que fechou escritórios, escolas, bares e restaurantes, incluindo serviços de entrega e delivery.  As praias, a orla e parques também foram interditados, restringindo as pessoas a suas casas e pequenos passeios pelo bairro.

Muitas empresas e atividades do país, incluindo o Parlamento e os tribunais, começaram os preparativos no fim de semana para retomar as operações nesta semana, mantendo as regras de distanciamento social. Já os restaurantes anunciaram planos de delivery sem contato, e as lojas de varejo vão começar a entregar em domicílio as peças compradas pela internet. Prédios e torres comerciais também publicaram as regras que vão passar a valer em elevadores e áreas públicas desses lugares para manter a distância segura entre as pessoas.

No entanto, apesar do afrouxamento das restrições, Andern enfatizou que ainda é proibido aglomerações nas ruas e pediu para que a população permanecesse em suas “bolhas”.

— Precisamos garantir que não iremos deixar o vírus vir correr contra a gente de novo e causar uma nova onda de infecções e mortes — disse Ardern em entrevista coletiva nesta segunda-feira. — Para ter sucesso, precisamos rastrear os últimos casos do vírus.

Com a nova diretriz, a pesca só poderá ser feita a partir dos cais, já que passeios de barco, iatismo e outros esportes ou treinamento em equipe permanecerão proibido. A caça também será permitida em terras privadas com restrições especiais.

Segundo os números oficiais, a Nova Zelândia registrou 1.122 casos confirmados e 19 mortes pela Covid-19. A taxa diária de novas infecções ficou abaixo de 1% nas últimas duas semanas, o que permitiu o afrouxamento das restrições.

A confiança da população nos governos da Nova Zelândia e da vizinha Austrália aumentou desde o início da pandemia, conforme mostraram pesquisas de opinião, com seus líderes ideologicamente opostos aclamados pelo gerenciamento da crise.

Na Austrália, onde a taxa de novos casos diários também diminuiu para menos de 1%, dois estados com pequeno número de infectados também vão afrouxar as restrições nesta semana. A Austrália Ocidental está permitindo que reuniões internas e externas de até 10 pessoas sejam retomadas a partir de segunda-feira, enquanto Queensland permitirá ainda esta semana piqueniques, compras no varejo e passeios de carro a até 50 km de casa. Outros estados do sistema político federal da Austrália, onde os casos de Covid-19 foram mais altos, vão continuar com o isolamento social.

Fonte: O GLOBO


Publicidade

Anterior

China tem volta às aulas do ensino médio com fortes medidas de segurança e medo do coronavírus

Seguinte

Saiba como gerar o código no Caixa Tem para sacar auxílio emergencial nas lotéricas