Publicidade
CULTURA

Mario Frias vai assumir a Secretaria Especial da Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro

 O ator Mario Frias aceitou o convite de Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria de Cultura, afirmam aliados do presidente. Ele vai substituir a atriz Regina Duarte no comando da Cultura e deverá trabalhar de Brasília. Ainda não está definida a data em que o ator deve assumir o cargo.

Nesta quarta-feira, Mario Frias almoçou pelo segundo dia consecutivo com Bolsonaro no Palácio do Planalto e, em clima de descontração, falaram de futebol e comentaram sobre o almoço do dia anterior, que contou com a presença de presidentes de clubes do Rio de Janeiro, como o Vasco e Flamengo. Mais tarde, segundo atualização da agenda oficial do presidente, Bolsonaro e Frias voltaram a se encontrar entre 17h e 17h15.

Na avaliação de aliados de Bolsonaro, a postura de Mario Frias em defesa do presidente em um debate recente na CNN Brasil conquistou Bolsonaro. O ator tem gravado vídeos a favor do governo e se colocado à disposição para ajudar.

Mais cedo, Mario Frias havia deixado um recado no Instagram também mencionando o vídeo do debate e na legenda escreveu: “Pra quem ainda não entendeu, vou deixar aqui o mais claro possível: aqui é Jair Bolsonaro”.

Frias assume a pasta tendo que enfrentar, logo de cara, a descrença e pressões da classe artística em meio a uma forte crise forçada pela pandemia de coronavírus. Ao comentar a saída de Regina Duarte e o convite a Mario Frias, a atriz Maitê Proença opinou:

— Não importa. Será mais um fantoche. Se for um bom fantoche dura, se não, cai.

Ele será o quinto nome a comandar a Cultura em menos de um ano e meio de governo Bolsonaro. Antes de Regina, a pasta já tinha passado por Roberto Alvim, Ricardo Braga e Henrique Pires.

‘Gratidão’ a Regina

Segundo pessoas próximas a Bolsonaro, na manhã desta quarta-feira, a então secretária Regina Duarte levou ao presidente a alternativa de assumir a Cinemateca de São Paulo e deixar a Cultura. Interlocutores alegam que Regina estava incomodada em ter de morar em Brasília e ficar distante dos familiares, em São Paulo.

A aliados, Bolsonaro repete ter uma gratidão com Regina Duarte pelo apoio que recebeu dela durante a campanha presidencial e, apesar da guerra ideológica que ela enfrentava na Cultura, o presidente nega a interlocutores que iria demiti-la. As cobranças do presidente, segundo fontes, eram pela presença dela em Brasília, numa participação mais ativa no governo para conseguir gerir a pasta.

Em seu perfil no Instagram (com 211 mil seguidores), Frias nunca escondeu sua admiração pelo presidente. No dia 20 de abril, ele postou uma entrevista de Bolsonaro na porta do Palácio do Planalto com o seguinte texto: “Não existe esta palhaçada de intervenção!!! #Foramaia somos uma democracia consolidada… O maior presidente da história”.

Fonte: O GLOBO


Publicidade

Anterior

Guedes avalia reduzir para R$ 200 valor do auxílio emergencial, em fim gradativo do programa

Seguinte

Informe Epidemiológico traz 66 bairros com casos de covid-19 em Campos