Publicidade
POLÍTICA

Lula chega à sede do PT para se pronunciar sobre condenação

(Foto: Divulgação)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou por volta das 10h15min desta quinta-feira à sede do PT em São Paulo para fazer um pronunciamento sobre a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro feita pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. Lula entrou de carro no prédio.

Petistas convocaram um ato pelas redes sociais em apoio a Lula. A manifestação está marcada para acontecer momentos antes da entrevista coletiva que o ex-presidente convocou para esta quinta-feira, quando deve falar pela primeira vez sobre a condenação.

O PT pretende reunir toda a cúpula do partido em São Paulo e parlamentares nesta quinta-feira para mostrar solidariedade ao ex-presidente.

— Não vamos aceitar esse tipo de condenação política sem nenhuma prova material — afirmou Marcio Macedo, um dos vice-presidentes do PT.

A possibilidade de Lula concorrer em 2018 deve ser mantida no discurso do grupo, apesar da condenação.

— Essa possibilidade (de o Lula não poder concorrer) não passa pela nossa cabeça. Nós só temos um plano, o plano A — disse o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, na noite de quarta-feira.

OUTROS LÍDERES

Outros líderes petistas marcam presença no diretório paulista, na manhã desta quinta-feira. O ex-ministro Alexandre Padilha e o ex-presidente do partido Rui Falcão já chegaram.

Do lado de fora, um grupo de manifestantes grita frases de apoio a Lula é o incentiva a se candidatar à Presidência nas eleições do ano que vem.

Os advogados do ex-presidente chegaram mais cedo ao local. Cristiano Zanin Martins, que representa o petista nas audiências com o juiz Sérgio Moro, confirmou que a defesa irá recorrer da decisão, mas não deu detalhes: seria possível pedir para que Moro reavaliasse sua decisão ou apelar diretamente ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

— O certo é que a decisão será impugnada, a decisão é injusta, contém vários erros jurídicos. Não levou em conta a prova da inocência que apresentamos — afirmou Zanin, que lembrou a decisão recente da segunda instância que absolveria o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto.


Publicidade

Anterior

WhatsApp começa a rivalizar com o Facebook como fonte de informação

Seguinte

Ministério da Educação disponibiliza lista de espera do Prouni