Publicidade
SAÚDE

Lote com 2,7 milhões de doses da CoronaVac exclusivas para SP chegam ao Aeroporto de Cumbica

Um novo lote com 2,7 milhões de doses prontas da CoronaVac, vacina contra a Covid-19, chegou na tarde desta quarta-feira (7) ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. O carregamento compõe uma compra de 4 milhões de doses feita exclusivamente para o governo do estado antes mesmo do término da entrega referente ao contrato com o governo federal. (Leia mais detalhes abaixo.)

De acordo com a gestão João Doria (PSDB), as doses serão distribuídas aos 645 municípios paulistas, e o lote extra começa a ser entregue já nesta quarta.

“O governo de São Paulo compra, adicionalmente, 4 milhões de doses extras para agilizar a campanha de vacinação no estado”, afirmou Doria. “Vamos antecipar o calendário em São Paulo, sem interferir no contrato do Instituto Butantan com o Brasil”, acrescentou.

A segunda remessa com 1,3 milhão de vacinas deve ser entregue no próximo dia 26.

A chegada das doses extras para São Paulo foi viabilizada pela Secretaria de Saúde após acordo entre o governo paulista e a biofarmacêutica Sinovac com o objetivo de antecipar o Plano Estadual de Imunização (PEI). As tratativas foram iniciadas em março deste ano.

A meta do governo é de que toda a população adulta do estado esteja protegida com ao menos uma dose de vacina contra o coronavírus até o dia 15 de setembro, com possibilidade de antecipação conforme a disponibilidade de imunizantes.

Exclusividade

Em fevereiro, Doria prometeu comprar 20 milhões de doses da CoronaVac apenas para o estado de São Paulo.

No entanto, o contrato entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan prevê exclusividade do governo federal até que todas as 100 milhões de doses adquiridas sejam entregues – o que ainda não ocorreu.

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que autoriza estados e municípios a comprar e distribuir vacinas, não se relaciona diretamente com o contrato de exclusividade firmado entre Butantan e Ministério da Saúde.

No entanto, o governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira a compra das 4 milhões de doses extras da CoronaVac e, quando questionado sobre a legalidade de comprar doses para São Paulo, João Doria disse que a negociação por parte de estados foi autorizada pelo STF.

“Nós estamos amparados pela decisão do STF, assim como qualquer outro estado ou conjunto de estados, que nos permite comprar diretamente vacinas e aplicar em nossa população”, disse o governador.

FONTE: G1


Publicidade

Anterior

Bancários de Campos começam a ser vacinados na próxima segunda

Seguinte

Brasil recebe mais 600 mil doses de vacinas da Pfizer