Publicidade
DNews

Lancha com 5 amigos desaparece ao deixar o Rio rumo a Fortaleza

Cinco amigos — quatro cearenses e um gaúcho — estão desaparecidos desde sábado (30) após navegarem de lancha do Rio de Janeiro a Fortaleza. O grupo viajou ao Rio em 23 de janeiro, quando um deles, o empresário Ricardo José Kirts, fez a compra da embarcação.

A Marinha do Brasil recebeu um chamado de socorro no domingo (31) e afirma que o desaparecimento da Embarcação de Esporte e Recreio, “O Maestro”, supostamente ocorreu próximo à região de São João da Barra (RJ).

Em nota, a corporação acrescentou que teve apoio da Força Aérea e faz as buscas com o navio-patrulha “Macaé” e duas aeronaves.

O grupo é formado por Ricardo, o empresário Domingos Sávio, um mecânico, um pescador e o comandante da embarcação, que não tiveram os nomes completos divulgados.

Problemas na embarcação

A mulher de um dos navegantes, Vitória Magalhães, revelou que eles tentaram começar a viagem de volta a Fortaleza em 26 de janeiro, mas a embarcação apresentou problemas técnicos no motor e nas bombas. Após um conserto, eles iniciaram a viagem no dia de 28.

No sábado (30), às 23h23, o marido informou a localização de onde estavam, no Farol de São Thomé (RJ).

“Quando eu falei com ele, em nenhum momento ele me pediu ajuda, socorro. Ele disse que as coisas estavam ruins, mas estavam continuando viagem para Vitória. Então, eu deixei passar. Quando foi no sábado, que eu não consegui entrar em contato com ele, e nem no domingo, foi que eu entrei em contato com a Marinha”, relembra Vitória.

Ela teme que o grupo esteja à deriva porque um dos motores da lancha (que possui dois) havia parado de funcionar, segundo relato do seu marido.

Pedido de socorro

Na última vez em que se falaram, o marido disse que as condições do mar estavam ruins, com a maré alta e muito vento; as roupas e a comida estavam molhadas, e que eles iam em direção à capital do Espírito Santo.

Ele também comunicou a Vitória que havia tentado contato com a Marinha, mas as autoridades não tiveram contato com a embarcação de imediato.

Grupo desapareceu em embarcação quando saía do Rio de Janeiro em direção a Fortaleza .

“Pouco tempo depois, eles retornaram dizendo que foi, sim, feito um pedido de socorro próximo à localização que eu tinha enviado [Farol de São Thomé] para eles [membros da Marinha], sendo que o sinal falhou”, diz Vitória.

Nesta segunda-feira (1º), ela disse que a Marinha confirmou o pedido de socorro foi da lancha “O Maestro”.

Fonte: G1


Publicidade

Anterior

TSE abre ano judiciário e retoma sessões após recesso

Seguinte

Eficácia da Sputnik V é de 91,6%, apontam resultados preliminares