Publicidade
DNews

Jornais e Tvs são os mais confiáveis na hora de informar sobre coronavírus, aponta Datafolha

Os meios de comunicações da imprensa profissional são considerados pelos leitores brasileiros como os mais confiáveis na cobertura da crise do novo coronavírus, aponta pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira. TVs e jornais lideram com 61% e 56%, respectivamente, o índice de confiança sobre o tema. Em seguida vêm os programas jornalísticos de rádio (50%) e sites de notícias (38%).

Somente 12% das pessoas dizem ter confiança nas informações compartilhadas em aplicativos e  redes sociais. Entre as plataformas digitais, 58% (WhatsApp) e 50% (Facebook) dos entrevistados dizem não confiar no que é publicado nelas quando a fonte não é o jornalismo profissional.

De acordo com a pesquisa, as pessoas foram questionadas se confiam ou não confiam nas informações sobre o coronavírus divulgadas nos jornais impressos, nos programas jornalísticos de TV e rádio, nos sites de notícias, no Whatsapp e no Facebook. Havia no questionário a possibilidade de responder ainda se confiavam apenas em parte nas informações ou se não utilizavam os meios.

Dos entrevistados, 11% dizem não confiar nas informações sobre a pandemia publicada nos jornais e 12% afirmam não acreditar nos telejornais. Os sites de notícias sofrem a desconfiança de 22%.

A confiança nas redes sociais é maior entre as pessoas com mais de 60 anos e menos escolarizadas. Entre os entrevistados que possuem formação até o ensino fundamental, 18% dizem confiar nas informações sobre a Covid-19 recebidas pelo WhatsApp. Pelo Facebook são 17%. Os dois perfis, no entanto, dizem confiar mais nos meios de comunicação profissionais.

Feita por telefone, o levantamento do Datafolha foi realizado entre a última quarta e sexta-feira (18 e 20 de março) . Foram ouvidas 1.558 pessoas, e a margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou menos.

No domingo, o instituto mostrou também que 73% dos brasileiros apoiam a quarentena temporária com isolamento forçado em casa por conta da pandemia do coronavírus. Outros 24% são contra e 2%, indiferentes. A porcentagem dos que dizem ter medo de contágio da Covid-19 é de 74%. Desse total, 36% dizem ter muito medo e, 38%, um pouco. Mulheres estão entre as mais preocupadas: 44% dizem ter muito medo, ante 35% dos homens. A pandemia é considerada um problema sério por 88%.

Fonte: O GLOBO


Publicidade

Anterior

Prefeitura confirma primeiro caso de coronavírus em Campos, no RJ

Seguinte

Petroleiras devem reduzir investimentos em 30% por coronavírus e queda no preço do petróleo