Publicidade
SAÚDE

Hospitais de Manaus registram menor taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 desde colapso no sistema

As unidades da rede estadual de Saúde em Manaus registraram, nesta sexta-feira (7), a menor taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19 desde o colapso no sistema causado pela pandemia. O sistema público de saúde entrou em colapso por conta do grande número de casos da doença e alcançou o pico de ocupação de 96% em leitos de UTI e 85% em leitos clínicos no dia 23 de abril.

O sistema funerário também entrou em colapso, na época, e Manaus teve caixões enterrados empilhados e em valas comuns no maior cemitério público da capital. Com a redução nos números da Covid-19, o comércio já voltou a funcionar no Estado desde junho, e cerca de 60 mil estudantes voltaram a ter aulas presenciais na rede privada desde o dia 6 de julho.

Segundo levantamento da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), o índice de ocupação caiu para 29,70% em leitos de UTI para Covid-19 e 29,22% em leitos clínicos na capital. Até esta sexta-feira (7), Manaus registrava mais de 37 mil casos da Covid-19, com mais de 2 mil mortes.

Segundo a Susam, dos 165 leitos de UTI destinados para pacientes com Covid-19 da rede, somente 49 estavam ocupados nesta sexta-feira. Já em relação aos leitos clínicos, dos 486 disponíveis, apenas 142 estavam ocupados. Nas salas de emergências, dos 33 leitos, dois estavam ocupados, o que corresponde a 6%.

De acordo com os dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o maior pico de novas internações, em Manaus, foi registrado também no dia 23 de abril, quando o boletim apontou 83 internações de casos confirmados de Covid-19.

Segundo o secretário de saúde interino, Marcellus Campêlo, a população deve manter os cuidados para combater o novo coronavírus e se prevenir. “Nós temos ainda números diários de contaminação, ainda estamos com o número de óbitos, que está estabilizado, porém é necessário mantermos os cuidados de segurança sanitária, principalmente a utilização da máscara e lavar as mãos com sabão ou usar álcool em gel”, disse Marcellus, por meio de assessoria.

Interior do AM

Cerca de 64,83% dos 105.054 casos confirmados no Amazonas estão registrados no interior, que teve recorde novos casos no mês de julho. Segundo o governo, apesar disso, as taxas de ocupação dos leitos de Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e clínicos estão abaixo de 20%, conforme levantamento da Susam, além da taxa de letalidade ser menos da metade da capital, contabilizando 1,9%.

Nos municípios, dos 134 leitos de UCI para pacientes Covid, 20 estavam ocupados. Em relação aos leitos clínicos, dos 879, 710 estavam livres.

Fonte: G1


Publicidade

Anterior

Programa Municipal de Apoio a Startups inicia nova etapa com empresas em expansão

Seguinte

CBF e federação de atletas diminuem intervalo mínimo entre jogos de 66h para 48h em 2020