Publicidade
POLÍCIAPOLÍTICA

Gravação indica que secretário de Witzel furou quarentena para encontrar empresário preso

O Ministério Público Federal (MPF) obteve, por meio de interceptação telefônica, um áudio em que Vinicius Peixoto, filho do empresário Mário Peixoto, fala sobre seu diagnóstico positivo para o novo coronavírus e como pensa ter contraído a doença em um encontro em que esteve com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, durante a pandemia.

Dono de empresas com contratos com a gestão estadual, Peixoto foi preso na semana passada durante a deflagração da Operação Favorito, da qual Vinicius também foi alvo. A conversa foi interceptada no dia 12 de maio, antes da operação e da prisão do empresário, e indica que o encontro aconteceu já durante a quarentena, na casa de Mário Peixoto.

Vinicius conta para a mãe que o teste para a Covid-19 deu positivo:

– A gente acha que foi um dia que eu estive na casa do meu pai. O Lucas teve né –  diz Vinicius, segundo a transcrição, informando que “estava lá o Lucas com a esposa”.

– O Lucas irmão do Matheus? – pergunta a mãe de Vinicius.

– Não, é o Lucas secretário – responde o filho do empresário, ouvindo, em seguida, da mãe:

– Entendi, um grandão.

– É. Lá no governo todo mundo teve – declarou Vinicius.

– O que ele foi fazer na casa dos outros? – questionou a mãe, ao que o filho responde:

– Meu pai, ideia de maluco. Todo mundo com corona no governo e chama o cara para ir na casa dele.

– Tem sorte de não ter pego o seu pai. Fez o exame? – pergunta a mãe de Vinícius.

– Fez, quando o do Lucas deu positivo, ele fez os exames – encerra o filho de Peixoto.

A defesa de Mário Peixoto pediu que a prisão preventiva dele fosse substituída por prisão domiciliar e citou a pandemia do novo coronavírus. Os advogados dizem que o empresário faz parte do grupo de risco (ele tem 61 anos), além de ser portador de hipertensão arterial, hipotireoidismo, prostatite crônica e dislipidemia (colesterol anormalmente elevado ou gorduras no sangue).

Para o MPF, o diálogo de Vinicius demonstra que Peixoto encontrou-se com terceiros e promoveu reuniões em sua casa em desrespeito às recomendações de isolamento social.

“Além de demonstrar o possível contato recente e íntimo com integrante do atual governo (Lucas Tristão), fato sob investigação, o diálogo acima deixa claro que, muito embora Mário Peixoto alegue estar no grupo de risco da pandemia do coronavírus, o próprio investigado não adota as recomendações técnicas de prevenção ao contágio, o que permite concluir que o fato de estar recolhido em um estabelecimento prisional, que vem adotando as cautelas sanitárias, não representa agravamento de risco de contaminação que existe caso permanecesse em liberdade”, diz o MPF ao refutar o pedido da defesa de Mário Peixoto.

Antes de integrar o governo, Tristão atuou como advogado em favor de empresas ligadas a Mário Peixoto. A relação foi, inclusive, usada por adversários de Witzel na campanha eleitoral

Fonte: O GLOBO


Publicidade

Anterior

Caixa deve receber 2,5 milhões de pessoas por dia até 13 de junho

Seguinte

Presidente do Congresso decide cancelar recesso parlamentar para enfrentar pandemia de coronavírus