Publicidade
DNewsECONOMIA

Governo e Codemca acompanham obras de uma nova pista no Heliporto de Farol

O secretário de Governo, Juninho Virgílio, e os presidente e vice-presidente da Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos dos Goytacazes (Codemca), respectivamente, Afrânio dos Santos e André Kananga, acompanharam, na noite desta terça-feira (20), as obras de construção de uma nova pista de pouso no Heliporto de Farol de São Thomé.

“O prefeito Wladimir Garotinho pediu para que acompanhássemos o trabalho, que foi iniciado no último dia 28 e que tem previsão de conclusão no próximo dia 12. Pedimos uma vistoria à empresa Infra Operações Aeroportuárias Farol de São Tomé, que é responsável pela obra, para conhecermos de perto o projeto que está sendo executado. A pista atende a uma adequação para novos modelos de aeronaves usadas pela Petrobras e é indispensável para que a estatal continue operando em Farol. A boa notícia é que a empresa responsável pela obra diz que o trabalho será concluído no prazo dado, de 45 dias”, disse o secretário de Governo.
Diretor comercial da Infra, Louzival Mascarenhas Junior, explicou o trabalho que está sendo executado no heliporto. “São nove caminhões por dia só de material. A pista terá 580 metros de extensão. Estamos fazendo o reforço do subleito com pedra rachão para estabilizar o solo. Depois, a pista recebe uma camada de 20 centímetros de pó de pedra e é feita a imprimação. Depois nova camada de 20 centímetros de brita graduada e outra imprimação e posterior pavimentação. São 45 centímetros de cobertura, além do reforço do subleito”, detalhou, acrescentando e, a partir da fase do pó de pedra, que já foi iniciado, o trabalho ganha mais celeridade.
O diretor explicou que a nova pista está sendo construída a partir do atual heliponto, que fica no meio. “O que está sendo feito aqui é a implantação de uma pista para melhorar a segurança do heliporto, que só permitia decolagem de forma vertical e que passará a poder ser feita ao longo da nova pista. Caso haja necessidade de rejeitar uma decolagem, com a ampliação da extensão, haverá condições de um pouso seguro, conforme prevê o manual da aeronave crítica, que é a S92, aeronave de grande porte, que precisa de 550 metros, na hipótese de rejeitar a decolagem, para atingir a velocidade de sustentação”.
O superintende da Infra, Rosimar Tavares, também acompanhou a visitação às obras na nova pista. Ele contou que o trabalho, feito de segunda a sábado, começa diariamente às 17h, quando já encerradas as operações da Petrobras no heliponto, e seguem até as 4h da manhã, para a retomada dos vôos a partir das 5h.
FONTE: COMUNICAÇÃO PMCG

Publicidade

Anterior

Saúde aplica 2ª dose de vacina AstraZeneca para quem tomou a primeira até 10/05

Seguinte

Ministério distribui mais de 160 milhões de vacinas contra covid-19