Publicidade
REGIONALSAÚDE

Fase vermelha: Prefeito Wladimir apresenta dados epidemiológicos à população

O prefeito Wladimir Garotinho, ao lado do vice-prefeito Frederico Paes, em reunião remota nesta sexta-feira (09) do Gabinete de Crise de Combate à Covid-19, apresentou à sociedade civil e a população os dados epidemiológicos referentes às restrições adotadas na última semana, com geração de resultados que contiveram parcialmente o contágio, mas mantendo a cidade na fase vermelha e permitindo a abertura gradual do comércio por setores e faixas horárias, com as medidas devendo ser detalhadas hoje em publicação no Diário Oficial, para vigorarem a partir da segunda-feira (12).
O prefeito Wladimir Garotinho observou: “Tem sido uma batalha de hora em hora para conseguir remédios, uma batalha de todos os prefeitos. Falei com todos eles da região sobre a dificuldade de medicamentos. Na noite de quinta-feira (08) fiz pedido em contato pessoal com o governador Cláudio Castro e a resposta foi que eles não estavam conseguindo comprar os medicamentos e ele disse que vai ceder alguma coisa do que tinha de estoque”, disse o prefeito.
Pela manhã de hoje, Wladimir recebeu no Aeroporto de Campos 11 mil doses de vacinas e medicamentos como bloqueadores neuromusculares. “Conseguimos o compromisso do secretário estadual Alberto Chaves que, na próxima semana, um segundo carregamento de medicamentos será fornecido a Campos, que será suficiente para 15 dias, o que nesse cenário de guerra é uma vitória”, explicou o prefeito.
Wladimir disse que as equipes técnicas da prefeitura têm trabalhado incansavelmente para enfrentar a pandemia, gerando resultados: “Até domingo teremos mais 10 leitos de UTI abertos e na semana que vem serão outros 10 leitos de UTI, fora os 10 leitos abertos na semana passada. Então, Campos conseguiu em 15 dias abrir 30 novos leitos de UTI”. O prefeito disse que na última semana foram abertos 13 leitos de clínica médica e na próxima semana serão mais 49 novos leitos de clínica médica, completou o prefeito, lembrando que em duas semanas estão sendo, então, ofertados 62 novos leitos.
O vice-prefeito Frederico Paes declarou que a prefeitura segue trabalhando para ampliar a estrutura existente, articulando com a Beneficência Portuguesa a instalação de uma terceira usina de oxigênio no hospital, como também montar uma usina própria para o Hospital São José, que hoje é abastecido por cilindros. “Quando se trabalha com usinas conseguimos um pouco mais de tranquilidade para trabalhar a questão das internações”, complementa Frederico, lembrando que o Brasil enfrenta hoje uma crise nacional sobre a falta de oxigênio.
Citando a ciência, o prefeito Wladimir Garotinho explicou que os dados técnicos indicam que o fechamento por mais de 21 dias não irá produzir mais resultados, mas que é preciso que a população faça a sua parte, com uso de máscaras, álcool gel, distanciamento social. “Nós podemos atingir semana que vem a marca de mil mortes. É uma guerra que estamos vivendo em Campos e no Brasil, que vai registrar quatro mil mortes por dia. Vamos continuar com diálogo aberto com o comércio, as entidades de classe, com a sociedade civil, com o Ministério Público, com a Defensoria Pública para encontrar caminhos, mas todo precisam colaborar”, defendeu o prefeito.
O subsecretário de Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica, Charbel Kury, detalhou que as medidas restritivas adotadas, como o fechamento do comércio, completaram um ciclo que resultou na superação do que seria um cenário ainda mais dramático: “Se a gente não tivesse tomado nenhuma medida, nós não achataríamos a curva de contágio e estaríamos vivendo o caos, com 100, 200 pessoas na fila de espera”, disse o subsecretário.
Charbel apontou que as intervenções das três semanas conseguiram seu efeito na redução e que irão se manifestar nas próximas duas semanas. “Nós temos que agradecer ao comércio, às entidades do setor produtivo, que deram seu sacrifício. Agora, após os 14 dias, temos que trabalhar o retorno gradual do comércio, intensificando a consciência, a educação em saúde, o respeito aos protocolos da Regra da Vida”, explica Charbel.
O secretário de Saúde, Adelsir Barreto, observou: “Os esforços de Campos são robustos, tanto em vacinação como em providências para ampliar ofertas de leitos, mas a situação é delicada. Nós estamos nos empenhando e nos esforçando ao máximo, mas todos têm que seguir os protocolos, usar máscaras, manter distanciamento”, completou.
Participaram da reunião do Gabinete de Crise de Combate à Covid-19, o prefeito Wladimir Garotinho, o vice-prefeito Frederico Paes, o secretário de Saúde, Adelsir Barreto, o subsecretário executivo de Saúde, Paulo Hirano, o Procurador Geral do Município, Roberto Landes e o Subprocurador Geral Gabriel Rangel, o subsecretário de Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica, Charbel Kury, os promotores Marcelo Lessa e Maristela Naurath, o defensor público Lúcio Campinho, entre outros.
Fonte: COMUNICAÇÃO PMCG

Publicidade

Anterior

Prefeito Wladimir recebeu cerca de 11.500 doses de vacinas nesta sexta-feira

Seguinte

Pfizer e BioNTech solicitam nos EUA uso de vacina contra a Covid em adolescentes de 12 a 15 anos