Publicidade
SAÚDE

Especialistas criticam escolha do governo de não retomar restrições com alta da Covid-19

Um dia após o comitê científico da prefeitura do Rio sugerir a volta de medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19, o governador em exercício Cláudio Castro, que se reuniu nesta quinta-feira de manhã com o prefeito Marcelo Crivella e à tarde com o ministro da Saúde Eduardo Pazuelloco, negou mais uma vez que o estado adotará medidas novas de restrição. Nesta sexta-feira, Crivella e Castro vão dar entrevista coletiva, em que devem anunciar a oferta de novos leitos e mais fiscalização para evitar que a população desrespeite as regras de ouro, como usar máscaras e manter o distanciamento social.

— Não vamos dar passo atrás. O que estamos fazendo é trabalhando na abertura de leitos e também em melhorar a fiscalização. Não adiantam medidas que a população não vai cumprir. A avaliação das equipes técnicas é que ainda temos campo para abertura de leitos antes de se pensar em restrição— disse Castro.

Nesta quinta-feira, o Rio registrou 127 mortes e 3.788 novos casos do novo coronavírus. Especialistas da Fiocruz já declararam que a rede pública de saúde da cidade está em colapso e que há pacientes morrendo de Covid e doenças crônicas dentro de casa. A cidade já tem 99% dos leitos exclusivos para coronavírus ocupados, e a rede SUS na capital — que inclui vagas estaduais e federais — atingiu 92% de ocupação. No estado, há 216 pacientes na fila de UTIs, 86% delas preenchidas.

Se hoje, não for anunciada qualquer medida de restrição devido à alta de casos e mortes, será a primeira vez que Crivella não segue a orientação de seu comitê científico.

O Supremo Tribunal Federal (STF) já decidiu que prefeitos têm autoridade para impor medidas restritivas, mesmo que não sigam o plano dos estados. Integrantes do comitê científico estão revoltados com a decisão das autoridades.

— Eu me senti indignado. Temos que impedir que a pessoa adoeça e não apenas abrir leito. Se só abrir mais leitos de UTI, ele vai ser ocupado e continuaremos a ter a maior taxa de mortalidade. Se tivermos leitos suficientes para todos, não importa quantos morrerão? — diz o médico Celso Ramos, que integra o grupo de notáveis.

Outro integrante, que prefere não se identificar, concorda com a opinião do colega e diz que está frustrado:

— Abrir leitos não é algo tão simples. E as duas frentes tinham que caminhar juntas.

A ata da reunião foi assinada por 28 pessoas, entre especialistas e funcionários da prefeitura, como a secretária de Saúde Beatriz Busch. Segundo o documento publicado ontem no Diário Oficial do município, outras medidas mais restritivas chegaram a ser discutidas, mas não foram aceitas pela maioria. Cláudio Castro não quis antecipar detalhes do novo plano de combate à Covid, mas adiantou que pretende aumentar a fiscalização. Ele disse ainda que a fila divulgada todos os dias pelas secretarias municipal e estadual de Saúde não reflete a atual realidade, já que muitos pacientes estão em leitos em UPAs que contam com equipamentos “quase iguais a um CTI”:

— Esse número que vem frio não traduz a realidade e amanhã as equipes técnicas vão demonstrar. A fila não é tão grande como parece. Há UPAs hoje que têm equipamentos quase de CTI e outras que quase não têm. Temos leitos a serem abertos inclusive nos nossos hospitais.

O infectologista Roberto Medronho, coordenador do grupo de estudos sobre Covid-19 na UFRJ, concorda com todas as sugestões do comitê, exceto com o fechamento de escolas e creches municipais:

— O comitê cientifico da prefeitura é composto por pessoas do mais elevado nível cientifico. Lamento que a opinião delas não tenha sido levada em conta.

Nesta quinta-feira, o governador esteve no Rio com o general Pazuello, ministro da Saúde. O ministro elogiou a Fiocruz.

— Temos o maior programa de imunização do mundo. Vamos poder produzir a curto prazo as vacinas para combater a Covid, ou grande parte delas. Mas num futuro próximo estaremos em condições de fazer frente a outras ameaças nessa área — afirmou o ministro.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL


Publicidade

Anterior

Estado do Rio inicia testagem para covid-19 agendada por aplicativo

Seguinte

O que é a 'Estrela de Natal' que poderá ser vista no dia 21