Publicidade
ARTIGOS

É hora de acordar!

Albert Jacobson – Pastor cristão evangélico na Comunidade Evangélica de Campos. (pastor.albert.jacobson@gmail.com)

“Eu me deitei e dormi; acordei, porque o SENHOR me sustentou” (Salmos 3:5).

A ansiedade é uma das características de nosso tempo. Não que nas épocas mais remotas as pessoas não estivessem, circunstancialmente, sujeitas à ansiedade, mas na atualidade, estar ansioso parece ser o “estado natural” de quase todas as pessoas. A ansiedade pode gerar uma série de doenças, iniciando pelo mais comum distúrbio, a perda do sono ou insônia. Conhece alguém que precise tomar remédios para dormir? Quem sabe alguém que toma, regularmente, um “rivotril” ou algo assim…

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças” (Filipenses 4:6)

Quando tudo é devidamente relatado a Deus, quando nos derramamos em oração diante dEle, suplicando que nos ouça, então alcançamos a tranquilidade de que precisamos para deitar e dormir, tendo um sono reparador, e, após um ciclo adequado de sono, sustentados por Deus, renovarmos as forças para levantar!

“As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim;novas são cada manhã; grande é a Tua fidelidade” (Lamentações de Jeremias 3:22,23). Nossa disposição, pois, ao acordar, é a de colhermos, e nos rejubilar, das graças misericordiosas que Deus derrama a cada dia sobre nós, para nosso sustento e vida.

É sábio acordar a cada dia dando graças a Deus, com um sincero “… Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o Teu nome; venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje” (Mateus 6:9-11), pois sabemos que Ele estará renovando a nossa porção diária de suprimento às nossas necessidades a cada novo dia que Ele mesmo nos dá. E também, graças a crer nEle, não devemos nos amofinar (perturbar) com preocupações pelo futuro, pois “Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” (Mateus 6:34).

Saibamos que a paz e a oração andam sempre de mãos dadas. Há como que uma chave bendita que abre as comportas dos céus, onde Deus está, e nos traz a paz, aquela que excede todo o entendimento, quando transferimos, pelo processo de orar, nossos fardos a Deus. Atenção! Fardo é fardo, cruz é cruz! Não venhamos a confundir nossos fardos com a nossa cruz pessoal e intransferível, pois Jesus Cristo disse “…Se alguém quiser vir após Mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-Me. Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de Mim e do Evangelho, esse a salvará” (Marcos 8:34,35), pois, como já foi dito, a cruz é personalíssima, mas os fardos podem ser compartilhados, de modo a que nos ajudemos mutuamente, nessa caminhada para a vida eterna. E, afinal, sabemos que Deus cuida de nós, logo, o que temeríamos?

Mas a cada hora que passa, mais se aproxima o momento da vinda de Cristo, e certamente muitos de nós precisam acordar para esta terrível realidade vindoura. Temo que o temor da ira vindoura esteja como que amortecido em nossos corações, de modo que imaginamos que “vindoura” seja uma instância de tempo que está muito distante do “agora”, do “hoje” em que estamos, de maneira que isso parece não intimidar quase ninguém. Será assim com você?

Estaremos nós preparados para instar a Deus, como fez o salmista? “Desperta e acorda para o meu julgamento, para a minha causa, Deus meu e Senhor meu”(Salmos 35:23). Teríamos essa ousadia santa de incomodar a Deus por nossas causas, crendo serem justas e estarem pautadas na Boa, Agradável e Perfeita Vontade de Deus?

É hora de acordar, irmãos e irmãs em Cristo! Estar na igreja não fará de você uma pessoa salva! Até iremos nos surpreender em encontrarmos entre os salvos muitas pessoas que jamais pensaríamos poderem vir a ser salvas, enquanto não encontraremos algumas que tínhamos certeza de encontrar na glória, com Jesus Cristo. Qual seria a razão disso?

Creio que quem está dormindo, não pode conseguir vigiar. Espiritualmente há que conclamar a maioria de nós a um enfático “Desperta tu que dormes!”, de modo a que nos ponhamos na “torre de vigia” e presto (rapidamente) acordemos, para a iminente volta do Deus Filho. Lembre-se de que a exortação é implacável em suas determinações: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41). Não podemos dar ocasião (chance de se manifestar) à carne, para que ela não nos faça cair em tentação. E a vigilância precisa ser constante e não cessar, pois não sabemos a que hora virá o Senhor! “Mas o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão” (2 Pedro 3:10).

A verdade é que se soubéssemos em que dia viria Jesus Cristo, seríamos tão inconsequentes e não vigilantes que colocaríamos um “despertador” para tocar alguns segundos antes e nos “arrependeríamos” de nossos pecados, imaginando que Deus aceitaria este tipo de “arrependimento” e então nos incluiria entre os salvos. Quanta dissimulação e estupidez! “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias.  E sede vós semelhantes aos homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier, e bater, logo possam abrir-lhe. Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que Se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-Se, os servirá.
E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos” (Lucas 12:35-38).

Digo e repito: É hora de acordar! Que o Espírito Santo nos convença da necessidade de acordar, urgentemente!


Publicidade

Anterior

Especialistas afirmam que decisão do STF sobre ensino religioso pode desorganizar gestão das escolas

Seguinte

Um tostão de História