Publicidade
ECONOMIA

Consumo de combustíveis tem pior março desde 2011 com quarentena

No primeiro mês de medidas de restrição à circulação de pessoas, como estratégia de enfrentamento à pandemia da covid-19 no Brasil, o consumo de combustíveis caiu 5,3% em março, na comparação com igual período do ano passado.

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), foram vendidos 10,645 bilhões de litros no mês retrasado, o pior março desde 2011. A perspectiva, no mercado, é que abril, cujos dados ainda não foram consolidados, tenha sido ainda pior.

Desde maio de 2018, período marcado pela greve dos caminhoneiros, as vendas não eram tão baixas. Com a queda das vendas em março, o mercado brasileiro fechou o primeiro trimestre com um recuo de 0,6%.

Os principais destaques negativos em março foram a gasolina e o querosene de aviação (QAV), fortemente impactados por restrições na mobilidade.

Já o consumo de gás liquefeito do petróleo (GLP), muito usado nas residências, tem se beneficiado pelas políticas de isolamento social, enquanto o diesel, muito demandado pelo agronegócio, segue em alta.

Segundo a ANP, as vendas de gasolina comum caíram 13,3% em março, para 2,697 bilhões de litros — o volume mais baixo para o mês desde 2010. No primeiro trimestre, a queda foi de 2,7%, mesmo tendo o derivado ficado mais barato.

Fonte: VALOR INVESTE


Publicidade

Anterior

Mercados de escritórios e galpões já sentem a crise

Seguinte

Prefeitura alerta para a necessidade do descarte correto de lixo e entulhos