Publicidade
DNews

Começou o julgamento dos acusados de matar analista judiciária

Ao todo os sete júris participam do julgamento

Teve início na manhã desta quarta-feira (04/05) o júri popular dos dois guardas municipais —apontados mandante e intermediário — e um homem acusado de executar  a analista judiciária Patrícia Manhães Gonçalves Mattos.  Ela foi morta a tiros na noite do dia 13 de abril de 2016, na frente do Grupamento Ambiental da Guarda Civil Municipal (GCM), onde funcionou a antiga Ceasa, em Guarus.

Durante a sessão que se estenderá até quinta-feira (05/07) e acontece no Tribunal do Júri do Fórum Maria Tereza Gusmão, no Centro de Campos, serão ouvidas 10 testemunhas de defesa e de acusação, além dos três réus. Ao todo os sete júris participam do julgamento.

Na noite do crime, Patrícia estava dentro do carro, sozinha, enquanto o marido, o GCM Uenderson Mattos, que estava de folga, entrou no grupamento para falar com um primo dele, que também é guarda. A vítima foi atingida por dois tiros na cabeça e um no pescoço. O marido tentou socorrê-la, mas ela morreu enquanto estava recebendo atendimento no Hospital Ferreira Machado (HFM).

Uenderson é um dos denunciados pelo Ministério Público, que também participa do júri. Outros dois acusados são Jonathan Bernardo Lima, apontado pela polícia como executor, e o guarda municipal Genessi José Maria Filho, que já possuía oito passagens por homicídio. Ambos terão a defesa feita por defensores públicos.

Fonte: Ururau


Publicidade

Anterior

Homem é detido com 1,5 kg de cocaína escondido no sofá de casa em Itaperuna, no RJ

Seguinte

Ciclista preso com mais de 2kg de drogas