Publicidade
DNewsSAÚDE

Com rigor nas medidas preventivas, Rodoviária do Rio volta a ter circulação de intermunicipais

Esta segunda-feira, 8, marcou a retomada de viagens intermunicipais pelo estado do Rio, após o decreto publicado pelo governador Wilson Witzel, na última-sexta-feira, em uma edição extraordinária do Diário Oficial. Para evitar o risco de contágio do novo coronavírus, a concessionária deu início, hoje, à operação Embarque Consciente, que, com medidas mais rígidas, busca manter a higienização do espaço, dos passageiros e, consequentemente, das viagens.

De acordo com o novo decreto, os ônibus que fazem o trajeto entre a Região Metropolitana e o interior do Rio podem viajar apenas com a metade dos assentos disponíveis e sem possibilidade de passageiros irem em pé; já linhas das rotas entre os municípios da Região Metropolitana podem ter ocupação total, mas, também, sem passageiros em pé.

Como parte da operação, a Rodoviária instalou boxes de higienização; espaços com cerca de 3 metros que, quando acionados por sensor, borrifam uma solução antisséptica nos passageiros, que age contra bactérias e vírus. De acordo com a empresa, a substância, aprovada pela Anvisa, não tem ação corrosiva e tampouco é volátil, em spray. O produto tem digluconato de clorexidina a 0,2%, que pode substituir álcool em gel. Um boxe foi colocado na entrada do embarque pelo acesso principal e o outro na saída do desembarque.

Além destes dois boxes e de 40 dispensers de álcool em gel pela rodoviária, o acesso aos terminais só pode ser feitos mediante o uso de máscara e, por meio de termômetros digitais, a temperatura de todos é checada. Pelo chão, há marcações de distância e a reportagem viu funcionários higienizando os assentos, as escadas e roletas. Segundo a concessionária, todos os terminais passam por um processo de limpeza, feito com cloro e desinfetante, quatro vezes por dia.

Neste período de pandemia, a baixa circulação foi histórica: 23.612 passageiros embarcaram em 1.275 ônibus no mês de maio de 2020; neste mesmo período no passado, foram registrados 433.830 passageiros em 17.733 ônibus, uma queda de 94,5% em comparação. Um balanço mais preciso com informações sobre quais destinos voltaram a ser mais utilizados deve sair na semana que vem.

— O movimento de passageiros caiu 96% com a suspensão de linhas intermunicipais e a retomada acredita-se ser gradual ao longo dos próximos meses — disse Beatriz Lima, porta-voz da Rodoviária do Rio S/A, ao prever um crescimento de 30% a partir do decreto do governador.

As únicas cidades que ainda não retomaram viagens intermunicipais foram Petrópolis e Teresópolis. No último sábado, o prefeito de Petrópolis, Bernardo Rossi, informou que continuam em vigor os decretos que proíbem a circulação de transportes públicos intermunicipais e interestaduais.

— Não podemos, de maneira nenhuma, afrouxar essas medidas restritivas, que já demonstraram eficácia para o controle do vírus em Petrópolis. Confio na justiça. Em outras cidades, o nível de ocupação de leitos chegou aos noventa, cem por cento. Isso mostra que o trabalho foi diferenciado aqui em Petrópolis. Se nesse momento abrirmos qualquer precedente, tenho certeza que vamos perder esse nível de controle. Vale lembrar que o próprio governador deixou claro, ainda dentro do mês de maio, em um dos decretos de flexibilização, que os municípios podem ter a prerrogativa de decisões dentro de suas realidades. Por isso reafirmo o meu compromisso com os petropolitanos, que é o de salvar vidas. Vou continuar defendendo a segurança e, principalmente, a saúde da população — declarou o prefeito.

Fonte: O GLOBO


Publicidade

Anterior

Transmissão de Covid-19 por pacientes sem sintomas parece ser rara, diz OMS

Seguinte

'Existe consenso sobre o adiamento das eleições’, diz presidente do TSE