Publicidade
COLUNASWALNIZE CARVALHO

Coluna Olhar Sobre o Cotidiano 21 de agosto de 2017

OLHAR SOBRE O COTIDIANO

Creio que meus leitores devem ter tido notícias de que no mês passado, um motorista de Minas Gerais “bombou” na internet, após compartilhar a imagem da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) onde fez questão de tirar a foto diferente para o documento: nela estampava um sorrisão. Houve quem achasse graça e risse do fato; outros, apenas esboçaram um sorriso no canto da boca e mais alguns, que contestaram. Polêmicas à parte, aqui diante da tela do computador relembro o fato e … plim! Achei o tema de minha coluna de hoje: RISOS E SORRISOS.

Risos e sorrisos

O sol amanheceu sorrindo pra ela.

Retirou-se da janela e lhe veio à lembrança os versos aprendidos na adolescência: “Sorria, mesmo que o sorriso seja triste / Porque mais triste que um sorriso triste/ É a tristeza de não saber sorrir” …

De imediato pensou, também, no – RISO – e a sutil diferença que há entre ambos, mas de que nada perdem a graça e encanto.

Lembrou – se de um artigo que lera dias antes, onde o mesmo dá ênfase ao riso: “Rir é o melhor remédio – Quando um velho ditado ganha apoio científico”. A matéria assim definia: Rir, gargalhar mesmo é ótimo para o corpo e para a mente. Rir reduz o stress, aumenta os níveis de endorfinas, especialmente da serotonina, no corpo, (o que diminui dores), emagrece, fortalece o sistema imunológico, ativa o coração e os pulmões. Cinco minutos de boas gargalhadas valem por 45 minutos de exercícios aeróbicos e muito mais…”

-Será? Sorriu…

Recordou de que, em criança, sempre ria, dava gargalhadas. Contava piadas, narrava histórias sempre rindo… Adolescente, não mudou nada.

Ria com as colegas e de tudo que eles falavam. Ria ao telefone. Ria de si mesma. Ria dos outros e para os outros, a ponto de ouvir como conselho de uma tia:” Muito riso; pouco siso” Deu de ombros e continuou com seu jeito de ser, pois se sentia bem assim …

Adulta, ela continuava rindo.

O tempo foi passando e com riso ou pouco riso, os anos escoaram.

Um dia, uma amiga comentou: “Quem ri demais provoca ruga em volta dos olhos”. Olhou-se no espelho. Lá estavam elas, as rugas. Achou injusto, que as pessoas alegres envelhecessem rapidamente. Continuou rindo e filosofando: “Minhas rugas em volta dos meus olhos são de alegria”. Mas, de vez em quando, se flagrava no espelho, olhando aqueles sulcos na face. Começou a rir frente ao espelho. Frente a frente, num duelo com o inimigo.

Não quis participar do embate. Saiu à rua. E, com olhar sobre o cotidiano, passou a ver a Beleza das coisas: sol, mar, flores, arco-íris, chuva, lua, crepúsculo, crianças.

Apaziguada e com SORRISO permanente no semblante passou a escrever sobre tudo que a encantava…

FOTO do FATO

Lipe Borges, motorista de Minas Gerais, que compartilhou nas redes sociais, sua foto sorridente para a Carteira Nacional de Habitação. (Foto: Reprodução / Facebook )

Li e Recomendo

Nele, o autor “procura abordar temas como a ambição humana, o amor e as ameaças do mundo moderno”.

“Roubartilhei” no Face

O SORRISO EM POESIA
O valor de um sorriso

“Um sorriso não custa nada, mas proporciona tudo. Enriquece aqueles que o recebem sem empobrecer aqueles que o dão.

Dura apenas alguns segundos, mas sua lembrança fica para sempre.

Ninguém é tão rico ou poderoso, que possa privar-se dele, e ninguém é tão pobre que não possa proporcioná-lo.

Um sorriso gera felicidade no lar, fortalece os negócios, e é uma marca palpável da amizade.

Ele alivia o cansaço, alegra os desanimados, anima os melancólicos e é o melhor antídoto natural contra as dificuldades.

Porém, ele não pode ser comprado, mendigado, emprestado ou roubado, pois não tem valor algum até que seja revelado.

Dê sempre seu sorriso, pois ninguém precisa de um sorriso tanto quanto aquele que não o tem mais para dar.”

OLHAR… OLHARES

# Após o período de recesso escolar o “Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho” retornou esta semana com o projeto “O Arquivo vai à Escola”. os profissionais do Arquivo visitam os colégios e fazem uma apresentação sobre o trabalho de restauração realizado pela instituição e sobre a formação da cidade de Campos. Projeto que veio para ficar e é sempre muito bem vindo nas comunidades escolares.

# O “Coral Municipal de Campos” comunica aos interessados que: “as inscrições, que seriam encerradas nesta semana, foram prorrogadas até o dia 10 de setembro. Os interessados podem procurar à Gerência de Artes e Ofícios, no Teatro Municipal Trianon, de segunda à sexta-feira, de 9h às 12h e de 13h às 17h. O único requisito para se inscrever é ter mais de 16 anos.”

“A sorrir eu pretendo levar a vida…” Cartola

 


Publicidade

Anterior

Dia Mundial do Alzheimer com evento informativo, nesta segunda

Seguinte

Consagrados, apaixonados por Cristo e seu Reino, servidores dos pobres