Publicidade
SAÚDE

Cientistas afirmam que cura para o coronavírus pode estar num pequeno animal

As alpacas, um dos camelídeos andinos, possuem anticorpos que podem bloquear o novo coronavírus em um possível tratamento, disse uma pesquisa da Universidade Cayetano Heredia, no Peru.

A investigação utilizou quatro jovens alpacas para os testes e suas conclusões coincidem com um trabalho belga realizado com lhamas, outro camelídeo andino, divulgado recentemente.

“Os anticorpos da alpaca são dez vezes menores que os anticorpos convencionais, além de terem alta sensibilidade e afinidade, muito boa escalabilidade e serem termoestáveis”, disse Patricia Herrera, uma das cientistas da equipe que participou da pesquisa, citada pela agência estatal Andina.

De acordo com a pesquisa, os camelídeos têm um tipo diferente de anticorpos, os de cadeia pesada (HCAb), que são usados para gerar VHH ou nano anticorpos úteis para o diagnóstico e tratamento de várias doenças, por meio de técnicas de biologia molecular.

“Você pode usar o VHH de alpacas para detectar anticorpos contra a COVID-19 que as pessoas infectadas adquirem e que foram gerados entre uma e duas semanas após o contágio”, diz a cientista.

“As terapias com VHH – como com outros anticorpos chamados monoclonais – seriam específicas contra o vírus”, diz a Dr. Herrera.

“Para cada caso, as alpacas seriam imunizadas com a proteína do patógeno que queremos reconhecer”, explicou o cientista.

Fonte: JORNAL O DIA


Publicidade

Anterior

Justiça Federal autoriza reabertura gradual de lojas em Brasília

Seguinte

Urgente: Teich deixa o Ministério da Saúde antes de completar um mês no cargo