Publicidade
SAÚDE

Cidades do Rio de Janeiro recebem novas doses das vacinas contra a Covid neste fim de semana

Mais de 600 mil doses de vacinas contra a Covid-19 começam a ser distribuídas neste sábado (26) para todo o estado do Rio de Janeiro. Um novo lote com 200 mil doses da vacina da Pfizer está previsto para ser entregue ainda nesta sexta-feira (25).

Já desembarcaram no Rio as 132.450 mil doses da Janssen e as 303 mil doses da Coronavac. Os imunizantes chegaram na noite dessa quinta-feira (24) ao Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, cerca de 40% dos imunizantes devem ficar na capital fluminense e o restante distribuído entre as demais cidades.

A entrega das vacinas para o interior do estado será feita através dos helicópteros das polícias Civil e Militar, que serão empregados para acelerar a distribuição. Já para os municípios da Região Metropolitana, a entrega será feita por via terrestre.

A Secretaria Estadual de Saúde decidiu distribuir as doses da vacina da Janssen para todas as 92 cidades. A medida contraria a recomendação do Ministério da Saúde para que os imunizantes, neste primeiro momento, fossem aplicados somente nas capitais. Mas os estados têm autonomia para distribuir as vacinas de acordo com as demandas internas.

Até agora, mais de 4,6 milhões de pessoas já tomaram a primeira dose da vacina em todo estado do Rio. Mais da metade delas, cerca de 2,8 milhões, foram aplicadas só na capital fluminense.

Mas a preocupação das autoridades é com o número de pessoas que estão com a 2ª dose do imunizante em atraso. Apenas na cidade do Rio, aproximadamente 77 mil pessoas, a maioria na faixa etária entre 60 e 65 anos, ainda não retornaram aos postos. Os agentes de saúde seguem tentando localizar os faltosos através de contato telefônico.

A diretoria do Centro Municipal João Barros Barreto, em Copacabana, bairro com maior concentração de idosos na capital, explica que uma das dificuldades encontradas para localizar essas pessoas é a desatualização dos dados cadastrais. Além disso, muitos idosos não lembram a data de retorno para aplicação da 2ª dose.

Em entrevista à CNN, o secretário municipal de saúde, Daniel Soranz, disse que a expectativa é que, com essa medida, se possa reduzir o número de pessoas com a 2ª dose em atraso.

Mas, segundo o secretário,  até o momento, ela ainda não surtiu grande efeito. Soranz pede para que as pessoas procurem os postos para tomar a vacina o quanto antes.

FONTE: CNN BRASIL


Publicidade

Anterior

Vice-prefeito debate parcerias com a Faculdade de Odontologia em prol da população

Seguinte

Covid-19: média móvel de mortes cai e de casos aumenta