Publicidade
SAÚDE

Cidade da Criança de Campos será polo de vacinação contra a Influenza no mês de abril

Tendo como meta vacinar, somente no parque, cerca de 5 mil crianças, além de 1 mil gestantes, a prefeitura de Campos dos Goytacazes, no Estado do Rio de Janeiro, vai transformar a Cidade da Criança Zilda Arns em um polo da Saúde infantil. Para definir a campanha, estiveram no local, nessa segunda-feira (26), o chefe de Gabinete, Alexandre Bastos; a diretora da Vigilância em Saúde, Andréya Moreira e a Coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Roberta Lastorina. Na oportunidade, decidiram que será realizado no parque a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, no mês de abril.

Em release encaminhado nesta terça-feira (27) ao jornal O Diário, a Superintendência de Comunicação (Supcom) da prefeitura informa que, desde o final do ano passado, “a atual gestão vem estudando a possibilidade de fazer com que a Cidade da Criança, que hoje proporciona entretenimento às crianças, passe também a funcionar como um polo de Saúde infantil. A ideia inicial é transferir para o local o Centro de Referência e Tratamento da Criança e do Adolescente (CRTCA 1). Com a campanha de vacinação sendo realizada na Cidade da Criança, o sonho começa a virar realidade”.

Alexandre Bastos diz que utilização da Cidade da Criança para polo de vacinação une o útil ao agradável, garantindo diversão e saúde para em um mesmo lugar. – Foto: Supcom/Campos

Alexandre Bastos ressalta que, “é importante lembrar que a Cidade da Criança foi orçada inicialmente em R$ 11 milhões e chegou a R$ 17 milhões após aditivos; uma quantia gasta de forma irresponsável pelos antigos gestores”. Ele avalia que “com este valor seria possível reformar unidades de saúde que se encontravam sucateadas e a concluir e já que temos a oportunidade de unir o útil ao agradável, vamos sim garantir diversão e saúde para nossas crianças em um mesmo lugar”.

A Supcom explica que durante o período de vacinação, que será de 16 de abril a 5 de maio, as crianças que forem ao parque para tomar a vacina, poderão prestigiar uma programação infantil com animadores culturais. No local haverá duas salas disponíveis: uma de triagem e sala de vacinação. “Nos próximos dias, pequenas adaptações serão realizadas para que o local esteja apto para a campanha”. Segundo Andréya Moreira, já foi estudado o que deve ser feito para atender aos critérios necessários em relação a locais de vacinação. “Nosso objetivo é proporcionar saúde e diversão para as crianças. Temos que dar uma nova utilidade para este local que foi construído a peso de ouro”, resume.

De acordo ainda com a Supcom, “nesta campanha, além de indivíduos com 60 anos ou mais de idade, serão vacinadas as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional”.

FONTE: Redação com Supcom/Campos


Publicidade

Anterior

Julgamento de recurso contra prisão de Lula marcado para quinta-feira pelo STJ

Seguinte

Interventor da segurança no Rio se reúne com secretários de Segurança do Rio, Minas, SP e ES