Publicidade
SAÚDE

Butantan entrega novo lote de Coronavac ao governo federal nesta quarta com 1,5 milhão de doses

O governo de São Paulo liberou na manhã desta quarta-feira (28) um novo lote de vacinas com 1,5 milhão de doses da CoronaVac, do Instituto Butantan, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

Com a entrega desse novo lote ao governo federal, o Butantan completa o repasse de mais de 61 milhões de doses.

“Com essa entrega de hoje, o Instituto Butantan e o Governo de São Paulo completam 61,649 milhões de doses entregues ao Programa Nacional de Imunizações”, disse o vice-governador, Rodrigo Garcia.

Desse montante de 1,5 milhão, 339 mil doses ficam no estado de São Paulo.

O secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, e o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, também participaram do evento.

Questionado sobre a contaminação pela variante delta, o secretário da Saúde disse que a cepa merece atenção e faz análises aleatórias para monitorar a variante.

“A vacinação adiantada aqui em São Paulo possibilitou a proteção dessas pessoas. Continuamos a fazer o rastreamento, a análise genômica, principalmente na região do Vale do Paraíba, para proteger a nossa população”, disse.

Na madrugada de 13 de julho, o instituto recebeu uma carga recorde de 12 mil litros do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima usada para produzir a vacina, para produzir 20 milhões de doses.

As vacinas liberadas nesta quarta fazem parte do segundo contrato firmado do Instituto Butantan com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi concluído em 12 de maio. A entrega das 100 milhões de doses estava prevista para ocorrer até o fim de setembro, mas o governo estadual diz que vai antecipar o prazo em um mês.

Veja abaixo as entregas de doses do Butantan ao Ministério da Saúde:

  • Janeiro: 8,7 milhões
  • Fevereiro: 4,583 milhões
  • Março: 22,7 milhões
  • 5 de abril : 1 milhão
  • 7 de abril : 1 milhão
  • 12 de abril : 1,5 milhão
  • 14 de abril: 1 milhão
  • 19 de abril: 700 mil
  • 22 de abril: 180 mil
  • 30 de abril: 420 mil
  • 6 de maio: 1 milhão
  • 10 de maio: 2 milhões
  • 12 de maio: 1 milhão – totalizando as 46 milhões do primeiro contrato
  • 14 de maio: 1,1 milhão
  • 11 de junho: 800 mil
  • 14 de junho: 1 milhão
  • 16 de junho: 1 milhão
  • 18 de junho: 2,2 milhões
  • 5 de julho: 937 mil
  • 14 de julho: 800 mil
  • 15 de julho: 200 mil
  • 16 de julho: 1 milhão
  • 19 de julho: 1 milhão
  • 21 de julho: 1,5 milhão
  • 23 de julho: 1 milhão
  • 28 de julho: 1,5 milhão

FONTE: G1


Publicidade

Anterior

Medida provisória que cria Ministério do Trabalho é publicada no DOU

Seguinte

Covid-19: variante Delta tem sintomas similares à gripe comum