Publicidade
SAÚDE

Butantan conclui a entrega das 46 milhões de doses de 1º contrato com governo

O Butantan entrega nesta quarta-feira (12) mais 1 milhão de doses CoronaVac, vacina contra Covid produzida pelo Instituto em parceria com o laboratório Sinovac, ao Ministério da Saúde.

Com o carregamento, o Instituto completa as 46 milhões de doses previstas no primeiro contrato firmado com o governo federal.

As entregas começaram a ser feitas no dia 17 de janeiro. No cronograma inicial, ela seria finalizada no final de abril. Entretanto, problemas na liberação de insumos na China provocaram atrasos na produção e envio ao governo federal.

Os novos lotes foram envasados com insumo recebido pelo Butantan no mês passado.

Na sexta (14), uma nova remessa deverá ser destinada ao Programa Nacional de Imunização (PNI), referente ao segundo acordo firmado entre o Instituto e o governo federal, para fornecimento de 54 milhões de doses.

Após esse envio, porém, não há previsão de quando o Butantan conseguirá fazer novas remessas. O Instituto suspendeu o envase por falta de insumo da vacina. A expectativa é a de que o Butantan receba um novo lote de matéria-prima até o próximo sábado (15).

10 mil litros de insumo à espera

Na segunda-feira (10), o governador João Doria (PSDB) disse que cerca de 10 mil litros de insumo produzidos pela Sinovac aguardam liberação para serem enviados ao Brasil.

O governo paulista atribui os entraves na importação às constantes declarações contra a China feitas pelo presidente Jair Bolsonaro.

Na ocasião, o diretor do Instituto, Dimas Covas, alertou quanto ao risco de o país ficar sem receber insumo e disse que o programa nacional poderá ser afetado a partir de junho.

A China é fornecedora de insumos para a produção tanto da CoronaVac, do Instituto Butantan, como da vacina de Oxford, produzida pela Fiocruz.

Cronograma de produção

Até o dia 15 de maio, o Butantan deve receber um novo lote de insumo para retomar a produção da CoronaVac, que foi suspensa na última quinta (6), por conta de atrasos na chegada da matéria-prima.

O Instituto é parceiro do laboratório chinês Sinovac, e responsável pela etapa final de produção do imunizante no país, que consiste no envase, rotulagem e testes de qualidade.

Segundo o Butantan, foi solicitado à Sinovac o envio de 6 mil litros, que daria para produzir aproximadamente 10 milhões de doses.

Desse montante, 3 mil já deveriam ter sido entregues no final de abril, mas não foram liberados no prazo por conta de questões burocráticas do sistema de exportação chinês.

Veja abaixo as entregas de doses do Butantan ao ministério:

  • Janeiro: 8,7 milhões
  • Fevereiro: 4,583 milhões
  • Março: 22,7 milhões
  • 5 de abril : 1 milhão
  • 7 de abril : 1 milhão
  • 12 de abril : 1,5 milhão
  • 14 de abril: 1 milhão
  • 19 de abril: 700 mil
  • 22 de abril: 180 mil
  • 30 de abril: 420 mil
  • 6 de maio: 1 milhão
  • 10 de maio: 2 milhões
  • 12 de maio: 1 milhão
  • 14 de maio: previsão de entrega de 1,1 milhão

Fonte: G1


Publicidade

Anterior

Covid: lote com 628 mil doses da vacina da Pfizer está previsto para chegar a Viracopos nesta quarta

Seguinte

Indonésia aponta que CoronaVac tem 98% de eficácia na prevenção de mortes