Publicidade
ESPORTES

Bolsonaro diz que governo busca viabilizar volta dos torneios de futebol

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje que o governo busca viabilizar um parecer do Ministério da Saúde para liberar, com uma série de regras, o retorno de torneios oficiais de futebol. Em conversa com jornalistas na chegada ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que foi contatado por autoridade do futebol favoráveis à retomada.

– Fui procurado por algumas autoridades do futebol, está sendo trabalhado neste sentido (de liberação gradual), conversei com um técnico de futebol neste final de semana, lá no Rio Grande do Sul, que foi favorável primeiramente a não ter (jogos), porque a contaminação acontece no vestiário, e agora é favorável (ao retorno) – disse o presidente, sem revelar o nome do técnico.

– É só você não deixar tanta gente no vestiário – argumentou.

A ideia, segundo o presidente, é liberar a realização de treinos e, num primeiro momento, jogos com portões fechados. Ele argumentou que a destruição de empregos e redução de salários poderão trazer efeito mais danoso que o coronavírus.

– Flamengo e Palmeiras têm folha próxima de R$ 15 milhões, times de segunda divisão, uma parte vai ser extinta, pelo que me consta já estão fazendo acordos para jogador ganhar 60%, 50%, 40% do que ganham, não tem receita, bilheteria, não tem televisão – afirmou.

Segundo o presidente, o assunto está sendo discutido com o secretário especial do Esporte, Marcelo Magalhães, e pode ter um avanço em breve.

A possibilidade do retorno das competições chanceladas pela CBF também foi mencionado pelo ministro da Saúde, Nelson Teich. Segundo ele, a CBF fez um pedido para que o governo avalie a possibilidade de retorno das partidas. Teich afirmou que o governo ainda avalia o pleito, mas não tomou uma decisão sobre o assunto.

– Dentro de discussões que existem hoje, existem pedidos pra gente avaliar o retorno dos jogos da CBF sem pública. É uma coisa que a gente está avaliando. Não é uma coisa definida. Mas são algumas iniciativas que, de alguma forma, poderiam trazer uma rotina um pouco melhor pro dia-a-dia das pessoas. Porque o enclausuramento tem um impacto muito negativo no bem-estar das pessoas. Todas aquelas coisas que a gente puder fazer com segurança para tornar o dia a dia das pessoas melhor, a gente vai avaliar – afirmou o ministro.

Fonte: O GLOBO


Publicidade

Anterior

Bolsonaro promete 'surpresa' na escolha de novo ministro da Justiça

Seguinte

Senado e governo propõem congelar salário de servidor por 18 meses para liberar socorro a estados e municípios