Publicidade
DNews

Após encalhar em praia, navio-plataforma da Petrobras é rebocado de volta para o meio da Baía

O navio-plataforma P-70, que na noite desta quinta-feira (30) foi arrastado pelo vento até encalhar em Gragoatá, Niterói, voltou para o meio da Baía de Guanabara.

Durante a madrugada desta sexta-feira (31), seis rebocadores da Petrobras, dona do navio-plataforma, fizeram a operação de traslado. A Capitania dos Portos acompanhou a operação.

Nesta manhã, a previsão era que a plataforma ficasse sustentada por seis rebocadores — só depois seria retomado o fundeio.

Imagens feitas  nesta sexta (31) mostram marcas no casco da plataforma e uma corrente rompida — marcas do incidente desta quinta.

Susto no temporal

A plataforma P-70 estava fundeada na Baía de Guanabara quando desabou um temporal. Segundo o Conselho Nacional de Praticagem, a chuva e a ventania romperam dois cabos durante a ancoragem e arrastaram a estrutura até a Praia de Boa Viagem, em Niterói.

Um dos rebocadores ainda tentou segurar o navio, mas não conseguiu. A plataforma chegou bem perto de um campus da UFF (Universidade Federal Fluminense).

A Marinha enviou uma equipe de busca e salvamento, mas não houve feridos. Ainda segundo a Marinha, não há mais riscos para a segurança da navegação.

O navio-plataforma chegou ao Porto do Rio de Janeiro na semana passada para operar no polo do pré-sal da Bacia de Campos.

A P-70 foi construída na China e tem capacidade para produzir 150 mil barris de óleo e seis milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Pesa 78 mil toneladas.

As causas do incidente vão ser apuradas pela Petrobras, e um inquérito já foi instaurado pela Marinha.

Fonte: G1


Publicidade

Anterior

Bolsonaro anuncia cerca de R$ 900 milhões em verbas federais e liberação do saldo do FGTS para vítimas das chuvas em MG, ES e RJ

Seguinte

Saque-aniversário do FGTS: Prazo para nascido em janeiro aderir termina hoje