Publicidade
ARTIGOS

Alberto Fioravanti – Erradicando a fome e a desnutrição no mundo!

Alberto Fioravanti é membro da Academia Campista de Letras (ACL)

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) é a maior agência humanitária do mundo que em média, a cada ano, assiste a mais de 90 milhões de pessoas em 80 países, incluindo 58 milhões de crianças, com ajuda alimentar. O PMA foi estabelecido em 1963 pela FAO e pela assembleia geral da ONU por um período experimental de três anos, mas em 1965 foi estendido de forma permanente. Sua sede está em Roma e tem escritórios em mais de 80 países ao redor do mundo.

O PMA é governado por um comitê executivo constituído por 36 países membros. O atual Diretor Executivo, nomeado conjuntamente pelo Secretário Geral da ONU e pelo Diretor Geral da FAO para um mandato de cinco anos, desde 2017, é o norte-americano David M. Beasley. O secretariado do PMA conta com uma equipe de quase 11.000 funcionários, sendo que 92% são diretamente responsáveis pelas operações do programa, cujo intuito é erradicar a fome e a desnutrição no mundo, com o objetivo final de eliminar a própria necessidade de ajuda alimentícia.

As principais estratégias das atividades da PMA, conforme indicado em sua missão, é fornecer ajuda alimentar para: 1) Salvar vidas em campos de refugiados e outras situações emergenciais; 2) Melhorar a alimentação e a qualidade de vida dos povos mais vulneráveis em momentos críticos de suas vidas; 3) Ajudar no desenvolvimento de recursos próprios e na promoção de auto-sustentabilidade de povos e de comunidades pobres.  Programas de “Alimento-por-trabalho” promovem a estabilidade ambiental, econômica e a produção agrícola.

Durante meu trabalho na FAO, desde 1970, pude conhecer e ver com meus próprios olhos o problema da fome e da pobreza que afeta o mundo, em especial na América Latina. A partir de 1979 no PMA, desde Roma, exerci as funções de Chefe de Ações para a América Latina, e a partir de 1990, como Diretor para a America Central e Panamá, com sede na cidade da Guatemala, e depois em Managua, Nicarágua, onde fiquei até minha aposentadoria em 1997.

O PMA distribuiu anualmente mais de 4 milhões de toneladas de alimentos a 87,8 milhões de pessoas em 78 países; 63,4 milhões dos beneficiados foram ajudados em operações de emergência, incluindo vítimas de conflitos, desastres naturais e dificuldades econômicas em países como Quênia, Líbano e Sudão.  A ajuda do PMA enfoca principalmente as mulheres e crianças, com o objetivo de erradicar a fome infantil. A merenda escolar e os programas de alimentação domiciliar em 71 países ajudam a estudantes se focarem em seus estudos e incentivam os pais a enviar as crianças, especialmente as meninas, à escola.

As ações da PMA, nas emergências, ajudam às pessoas que não logram produzir ou obter alimentos. Em cooperação com o Governo do Brasil, o PMA inaugurou em Brasília, um Centro de Excelência de Combate à Fome, para ajudar aos países a melhorar, expandir e executar os seus programas de merenda escolar e para fazer avançar a segurança alimentar na escola. O Brasil tem uma rica e vasta experiência na realização de ações para o combate à fome que podem ser compartilhadas com outros países. Paz e Bem!

Publicidade
Anterior

Albert Jacobson - Não andeis ansiosos!

Seguinte

Moreira Franco afirma que investir em defesa é fundamental para o desenvolvimento do país